Adolescentes consomem bebidas alcoólicas cada vez mais cedo

Educação, informação e apoio familiar são as melhores ferramentas para a prevenção

22 de FEVEREIRO de 2019

Icone Compartilhamento Facebook Icone Compartilhamento Twitter Icone Compartilhamento Google Plus Icone Compartilhamento Tumblr Icone Compartilhamento Pinterest Icone Compartilhamento Linkedin

Adolescentes consomem bebidas alcoólicas cada vez mais cedo

Dezoito de fevereiro é o dia da conscientização quanto ao consumo excessivo do álcool. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil está entre os países que mais consomem bebidas alcoólicas na América Latina. E os adolescentes são uma grande vítima desse problema.

Os indicadores apontam que, com os passar dos anos, a idade de iniciação no consumo do álcool começa cada vez mais cedo e a quantidade e diversidade de bebidas, se torna cada vez maior.

O problema afeta tanto meninos quanto meninas, com o agravante de que parte deles poderá conviver com a dependência da bebida no futuro. Segundo a psicóloga Beatriz Silva Marques Rocha, a situação é muito preocupante porque além de socialmente aceita, o acesso dos jovens à bebida está cada vez mais fácil.

Ela reforça o uso precoce com a consequente dependência, lembrando que a bebida também é a porta de acesso para outras drogas. “Educação, informação e apoio familiar são as melhores ferramentas para a prevenção”, afirma ela.

Confira, abaixo, o que diz a psicóloga sobre o alcoolismo na adolescência:

Por que os jovens estão começando a ingerir álcool cada vez mais cedo?

Atualmente o uso de bebidas alcoólicas, além de aceito socialmente, por vezes é estimulado. Além disso, existe ampla oferta e facilidade no acesso/baixo preço. São diversos os fatores que podem desencadear o uso de bebidas alcoólicas por parte dos adolescentes, tais como propensão genética, transtornos mentais como depressão e ansiedade, conflitos familiares, necessidade de se sentirem pertencentes a um grupo, instabilidade decorrente das alterações ocorridas do período da adolescência, dentre outros.

Quais questões futuras podem ser acarretadas na vida das pessoas que começam a consumir bebidas muito cedo?

O álcool é uma substância psicoativa e, portanto, age diretamente sobre o sistema nervoso central (SNC).  Na adolescência o SNC ainda está em desenvolvimento e, por isso, nesta etapa a pessoa fica mais suscetível a danos e consequentes comprometimentos como, por exemplo, o cognitivo, além disso, o uso abusivo de álcool pode ser fator de risco para a violência, o uso de outras drogas, acidentes automobilísticos, sexo sem uso de preservativo, dentre outros

De que forma a família pode ajudar a inibir o consumo precoce?

A informação e o diálogo dentro de casa são fundamentais. O adolescente precisa de um ambiente que possa acolhê-lo (sem julgar) com suas dúvidas, informá-lo sobre as consequências do uso do álcool além, é claro, do exemplo, já que as falas precisam condizer com as atitudes. Neste sentido, a escola também pode contribuir com debates sobre o tema. A educação e conhecimento são sempre será a melhor ferramenta de prevenção.

A possibilidade de se tornar dependente aumenta de acordo com a menor idade de início da ingestão?

Estudos apontam que quanto mais cedo o adolescente inicia o uso de bebidas alcóolicas, maior é a predisposição a dependência. Além disso, evidenciam que a bebida geralmente é a primeira droga a ser utilizada e seu uso excessivo pode desencadear a utilização de outras drogas.

Como identificar que o consumo começou a se tornar um problema de dependência?

Dependência é caracterizada, dentre outras coisas, pelo uso danoso da droga (embriaguez), perda de controle sobre a quantidade de bebida ingerida, negligência a tarefas/compromissos cotidianas e sintomas de abstinência quando se tenta evitar a bebida.

Qual o papel da família ao notar que o jovem caminha para a dependência? De que forma podem ajudar?

A pessoa dependente de drogas sejam elas ilícitas ou licitas como é o caso do álcool carecem de ajuda/tratamento profissional por se tratar de uma doença. Entretanto, na maioria das vezes o sujeito carece de auxílio para buscar e dar continuidade ao tratamento e neste sentido, o apoio da família e dos amigos tornam-se imprescindíveis.

VEJA TAMBÉM

Educação turística nas escolas de Santa Leopoldina fortalece o turismo sustentável

Os queridos Ana Cláudia Duarte e Celso Zucatelli receberam na tarde deste último domingo




Portfólio TV PORTFOLIO TV

Entrada de Carol Nakamura em sue casamento com Gui Leonel, em Buzios

Entrada de Carol Nakamura em sue casamento com Gui Leonel, em Buzios

Entrada de Carol Nakamura em sue casamento com Gui Leonel, em Buzios

Todos os direitos reservados l Copyright c Revista Portfolio Brasil 2017