Vandré Silveira fala dos novos trabalhos que estreiam em diferentes plataformas de streaming

Ator viverá o fazendeiro Simplício Dias na série “Jenipapo – A fronteira da independência”, além de participar de “A Magia de Aruna” e também “A hora do boi”, monólogo que traz uma versão humanizada de São Francisco de Assis

03 de JUNHO de 2022

Icone Compartilhamento Facebook Icone Compartilhamento Twitter Icone Compartilhamento Google Plus Icone Compartilhamento Tumblr Icone Compartilhamento Pinterest Icone Compartilhamento Linkedin

Vandré Silveira fala dos novos trabalhos que estreiam em diferentes plataformas de streaming

A famosa frase intitulada a D. Pedro “Independência ou morte”, se tornou o grande marco da independência do Brasil, que completa 200 anos em 2022. Para celebrar a data histórica, em outubro estreia a série “Jenipapo – A fronteira da independência”, na TV Cidade Verde, filiada ao SBT. A história tem como protagonista o ator Vandré Silveira, no papel do fazendeiro Simplício Dias, figura importante na luta pela Proclamação da República do País.

Foi sem dúvida meu trabalho mais maduro. Dar vida a uma figura histórica tão importante é um grande desafio, por fazer parte do imaginário social” aponta Vandré.

Simplício foi o maior incentivador à adesão da luta do Piauí na Independência do Brasil. Figura controversa, o fazendeiro e comerciante foi um dos homens mais ricos e poderosos do Brasil Colonial. Além disso, o personagem era conhecido por ser escravocrata e pelo seu lado cruel.

Como ator, o grande desafio foi humanizar este homem, visto por alguns como herói e por outros como um grande vilão. Essa dualidade e complexidade me interessam muito na construção de um personagem” acrescenta.

A Batalha de Jenipapo, retratada na série, foi uma das guerras mais sangrentas na história do país, e ao mesmo tempo decisiva no processo de Independência. Apesar disso, o evento ainda é desconhecido para boa parte da população.

Estou animado por ter a oportunidade de contar essa história, que faz parte da nossa construção como nação. É fundamental conhecermos os erros do passado, para evitá-los no futuro. Um país sem memória é uma nação sem identidade” complementa.

Um dos pontos importantes na série é a relação entre o personagem e seu cavalo, uma história dotada de misticismo. Há inclusive quem diga que o animal do fazendeiro está enterrado na capela Nossa Senhora das Graças, no Piauí. Por isso, o ator precisou focar bastante na montaria.

Eu já tinha feito hipismo há 20 anos e decidi retomar as aulas de equitação para ter segurança nas filmagens. Essa experiência foi incrível, porque reacendeu minha paixão pelo esporte” detalha.

A relação com os animais não se limita a série, sendo uma causa levantada frequentemente por Vandré. Através das redes sociais, o ator procura conscientizar as pessoas sobre a importância de mudar a visão antropocêntrica, que subjuga os animais e coloca o homem como centro do universo.

Sempre tive uma conexão muito forte com os animais. São seres que possuem a capacidade de percepção através dos sentidos. É cruel a maneira como o ser humano se relaciona com os animais. É preciso ter mais respeito e compaixão com todos os seres” ressalta.

A paixão pelos bichos impacta totalmente a carreira do ator que, no segundo semestre desse ano, estrelará o monólogo intitulado “A Hora do boi”, que trata exatamente sobre a questão da crueldade animal, e aborda também São Francisco de Assis, mostrando o lado humano do padroeiro dos animais.

Sempre quis abordar a história do homem que foi Francisco de Assis, de uma forma não religiosa. Foi uma pessoa que entendeu e praticou o amor por todos os seres, a partir de uma visão inclusiva em que o homem é parte do todo” explica.

A peça, que tem argumento de Vandré, com texto da Daniela Pereira de Carvalho, direção do André Paes Leme e direção de produção do Caio Bucker, acompanha a história de Francisco, um homem que trabalha em um abatedouro de bovinos e constrói uma relação afetiva com o boi Chico. Porém, com a hora do abate se aproximando, o personagem entra em conflito, trazendo a figura do narrador Francisco de Assis que permeia a história com momentos de leveza e reflexão.

O principal ponto é como lidar com o sacrifício do Chico, um ser cuja vida tem como objetivo o consumo humano, uma prática naturalizada na sociedade” diz.

Na TV, além de “Jenipapo”, Vandré também faz participação em “A Magia de Aruna”, produção da Disney+ com previsão de estreia para 2023 na plataforma. Na produção ele viverá o oficial Silva responsável por realizar uma operação policial no bairro da Margem, bairro fictício da produção, para investigar um roubo.

“2022 tem sido um ano de voltar ao batente e isso tem sido uma experiência maravilhosa. Após esse tempo mais difícil da pandemia é uma alegria retornar aos sets de filmagem, é um momento emocionante. Continuamos com as medidas de prevenção ao Covid, mas nos enche o coração de alegria e esperança este retorno do audiovisual” completa o ator.

O ator também estará na série “Musa Música”, do canal Gloob escrita por Rosane Svartman e com previsão de estreia em 2023.

Para saber mais sobre o trabalho de Vandré Silveira, acesse https://www.instagram.com/vandresilveira/

VEJA TAMBÉM

Inspirado em história real, Amado chega aos cinemas em 09 de junho

NOSSAS CAPAS

ACOMPANHE O DIA E A NOITE DOS FAMOSOS PELO NOSSO INSTAGRAM


Vandré Silveira fala dos novos trabalhos que estreiam em diferentes plataformas de streaming



Portfólio TV PORTFOLIO TV

Carol Macedo entrevistada por Luiz Alberto

Carol Macedo entrevistada por Luiz Alberto

João Pedrosa entrevistado por Luiz Alberto

João Pedrosa entrevistado por Luiz Alberto

Jakelyne Oliveira entrevista por Luiz Alberto

Jakelyne Oliveira entrevista por Luiz Alberto

Lorena Improta entrevistada por Luiz Alberto

Lorena Improta entrevistada por Luiz Alberto

Lorena Improta entrevistada por Luiz Alberto

Todos os direitos reservados l Copyright c Revista Portfolio Brasil 2017