Lidi Lisboa, uma atriz com muito para contar!

Na seção Stalkeados por Luiz Alberto

24 de OUTUBRO de 2021

Icone Compartilhamento Facebook Icone Compartilhamento Twitter Icone Compartilhamento Google Plus Icone Compartilhamento Tumblr Icone Compartilhamento Pinterest Icone Compartilhamento Linkedin

Lidi Lisboa, uma atriz com muito para contar!

Olá queridos leitores, nesta semana eu conversei, e adorei, com Lidi Lisboa, uma atriz genial, muito adorável e boa de papo. Ela conta sobre os 20 anos de trabalhos no audiovisual, sobre sua personagem protagonista em Jezabel (novela da Record TV), sucesso exibido em vários países. No momento, ela está nas telinhas em três horários distintos, Belaventura nas tardes da Record, Império no horário nobre da Rede Globo e Gênesis, a nova superprodução da Record.

Lidi estreou na televisão em 2001. Forte, decidida e obstinada, ela ainda carrega a palavra ‘coragem’ em seu dicionário particular. Sim, a atriz não teme os novos desafios profissionais e sabe em quais resultados focar.

O resultado pode ser visto em seu Instagram que consta com mais de 1 milhão e 200 mil seguidores. Para termos uma base, somente para a postagem ‘Inovação’ ela recebeu mais de 150 mil curtidas. Ou seja, ela é sucesso também nas redes sociais!

Acompanhe um pouco mais da brilhante carreira dessa mulher que esbanja elegância, beleza e simplicidade em nossa conversa. Vamos comigo saber mais sobre ela?

LUIZ ALBERTO: Oiii, que bom falar com você!!!

LIDI LISBOA: E aí? Me conta.

LA: Diz aí fenômeno da web. Maravilhosa! Postura perfeita em A Fazenda 12... Gosto muito de você, muito, e agora você vem me divertindo com a Kelly, em Império, que está demais! Você pegou um papel pequeno e o transformou na Kelly. Uma personagem divertida, tão doce que dá vontade de pegar a Kelly e encher de beijos. Ela é muito fofa, porque ela tem uma certa inocência, não é?

LL: Algumas vezes eu pego uns personagens que não são nada, mas tem que tirar leite de pedra, ?

LA: Trabalho de uma boa atriz. Esperta. Inclusive, você está no ar em Bela Aventura, Império e Gênesis. Mas tem teatro, filme... Ela não para!

LL: Tem uma série também na NetFlix, que estreia o ano que vem, A Sogra Que Te Pariu, com Rodrigo Sant’Anna.

LA: Háháhá... O nome já é ótimo!

LL: Maravilhoso, maravilhoso. A gente já tem a primeira temporada prontíssima, são 10 episódios, e eu super ansiosa para a estreia desse novo trabalho. Primeiro sitcom da NetFlix no Brasil, então está todo mundo ansioso.

LA: Que bacana! A NetFlix está sendo uma excelente oportunidade para os artistas todos mostrarem seus talentos.

LL: Graças a Deus!

LA: Veio a NetFlix, espero que a Amazon também faça produções incríveis para a gente poder curtir. Eu, claro, que vou te assistir porque você tem esse lado comédia, no drama você é excelente também. Mas vamos combinar, na comédia você é sensacional. Eu queria ver mais Kelly, sou apaixonado.

Lidi Lisboa - Revista PORTFOLIO capa - Foto Sergio Cyrillo (1)

LL: Você acredita que eu não estou vendo Império! Sempre esqueço de ver. Não estou acompanhando. De vez em quando alguém me marca e.... “ai meu Deus a novela!” Como já foi, fiz a novela em 2014, fiquei super feliz com os resultados de agora na internet. Porque por conta da pandemia eles reprisaram uma novela muito legal. Nossa! Eu amava o protagonista. O primeiro protagonista que eu gostei de novela foi o Alexandre Nero, o Comendador.

LA: Eu também o acho excelente, o Alexandre Nero é um excelente ator e o Comendador é muito engraçado. É engraçada a relação de vocês em cena, sabe? Você falando com ele...

LL: Com super respeito... (risos)

LA: É, com respeito, com receio e etc e tal. Você deu esse toque, esse tom para a Kelly, que ficou uma personagem incrível.

LL: Fico muito feliz, porque já recebi outros personagens que “ah, você tem um mês na novela”, mas aí, eu tiro tanto leite da pedra que “ah... deixa essa garota aí, vai!

LA: (gargalhadas) Não é boba nem nada, não é?

LL: A Kelly foi bem assim. Ela tinha poucos dias na novela. Demora um pouco para entrar, aí ela entra e é despedida. Mas aí o Comendador estava tramando, entendeu? Então, isso foi maravilhoso.

LA: A relação dela com a Maria Isis, personagem de Marina Ruy Barbosa; é muito boa, de muito carinho. Ela fica nervosa se a Maria Isis não dorme em casa. Muito boa essa relação de vocês ali. O Comendador, a Maria Isis e a Kelly.

LL: Uma relação leve, porque não tem comédia na novela.

LA: Exatamente.

LL: Tem um pouco com a Xana e tem um pouco com a outra menina que também ficou na casa do Comendador. Mas, a Kelly é a mais leve.

LA: É a mais leve porque ela tem uma doçura da inocência, ela não tem maldade. Então, quando ela “entrega” as coisas que não deveria entregar é muito interessante gente!

LL: Ela é atrapalhada, não vê maldade.

LA: Não tem maldade, ela cai nas armações dos outros. “Ah, se falou então está bom”.

LL: Exatamente. “Ah, como é que você ia saber se ele não havia falado, ah, vamos subir” Era muito bom.

LA: Muito bom. Eu gosto muito também de outras personagens. Porque tem Gênesis... Bom, são tantas personagens. Na Globo, você fez a A Padroeira onde viveu a Brásia...

LL: Isso. Depois fiz Malhação, Paraíso Tropical...

LA: Insensato Coração, Cheias de Charme, Império e Segundo Sol.

LL: Sítio do Pica Pau Amarelo. E depois fiz umas participações em algumas séries. Ah, fiz bastante coisa.

LA: Fez! Estou sabendo de tudo aqui na minha ficha. (risos)

LL: Na Record que eu fiz a Jezabel, né? Bem, fazer uma personagem preta, protagonista e vilã, aaaaa... Ela era vilãzona.

LA: Teve aquelas coisas de as pessoas te abordarem e conversarem com você como se estivesse conversando com a personagem?

LL: Tem e é difícil separar. Eu acho que como Jezabel foi uma personagem tão má que as pessoas até se confundiram um pouco, sabe? Aí eu já comecei a virar a vilãzona na vida real, eu a atriz Lidi.

LA: Aí não pode. É perigoso...

LL: Deu uma misturada aí. Acontece, fazer o quê? No personagem Brásia, meu primeiro personagem, uma mulher me parou na rua me deu um tapa.

LA: Mentiraaaaa!

LL: Juro!

LA: Meu Deus!

LL: Porque a Brásia fazia uns feitiços lá. Na verdade ela não fazia, deu a entender que fez um feitiço.

LA: Deu a entender que ela era meio feiticeira, meio bruxa.

LL: Mas ela não era nada disso. E uma mulher me abordou na rua e falou, “Ah, foi você quem fez macumba para a Cecília?” Falei “É... é...” Ela me deu um tapão, sabe?

LA: Ossos do ofício...

LL: Eu não sabia que poderia existir isso. Eu tinha uns 16 anos de idade e aquilo ficou registrado na mente.

LA: Claro! Você gosta de teatro também, porque você fez Bruta Flor, de Vitor de Oliveira e Carlos Fernando Barros, e As Loucuras Que as Mulheres Fazem.

Lidi Lisboa - Revista PORTFOLIO capa - Foto Sergio Cyrillo (2)

LL: Essa peça, As Loucuras Que as Mulheres Fazem, a gente viajou. Para o interior de São Paulo, outros estados, Tocantins, fomos para vários lugares com essa peça. Foi bem legal. E aí depois, com Bruta Flor, ficamos aqui em São Paulo, era uma peça LGBT, muito intensa. Foi uma temporada ótima.

LA: Aquela pergunta lugar comum que eu vou ter que fazer e cada um responde o que gosta. Filme, teatro ou TV?

LL: Ah, um pouco de tudo. Tem uma diferença, né?

LA: Tem uma diferença grande eu acho não é Lidi? Por exemplo, o teatro, o pisar no palco é uma sensação. Eu penso assim, não sou ator, me corrige se eu tiver errado. Acho que é uma sensação diferente.

LL: É sempre diferente. É uma plateia um dia, no outro dia é uma outra plateia. A gente ensaia muito, mas às vezes não sai como manda o figurino e a gente tem que dar jeito. Ao contrário do cinema que também tem uma preparação, mas, qualquer coisa, faz de novo, corta e o teatro não. É ao vivo mesmo. Deu certo, ótimo, não deu, paciência, foi, segue em frente não tem como voltar atrás. Então, sou apaixonada pelo áudio visual.

LA: Eu também, eu também.

LL: Não sei o que seria da minha vida sem, sabe?

LA: Eu já falei para várias atrizes que eu entrevistei que sou louco por novela. Adoro novela, eu entro no clima. Com novela a gente viaja, a gente sai... Você está em casa, liga uma novelinha e esquece dos problemas que são tantos nos dias de hoje. Aí também tem a Netflix que veio com tudo trazendo novas produções para a gente. Gosto muito das produções nacionais porque os artistas brasileiros são demais.

LL: Qual a sua novela preferida?

LA: Império eu amo. Tem novelas de tempo atrás. Ti-ti-ti eu amo, estou vendo aqui que você fez Paraíso Tropical, amo! 

LL: Paraíso Tropical está no Viva.

LA: Mas é à tarde e não dá para mim. Só de noite que eu paro tudo que estou fazendo para assistir à Império.

LL: Acho que Paraíso Tropical vai reprisar em algum momento. Acho que mais pra frente.

LA: Que ótimo. Agora também vem novas produções. E por falar nisso, você está na Fazenda 13 entrevistando as pessoas, os eliminados e fazendo comentários. Que, aliás, está bombando. Gostei muito da 12, gostei muito do seu comportamento na 12, você era muito sériona, dava resposta pá-pow, eu sou muito igual a você, despachado, sabe? Dava resposta se gostou ok, se não, fazer o que? Então quando eu via aquela garota séria e sacando as coisas todas, de olho nas coisas todas, eu achava muito interessante...

LL: Acho que eu era um pouco mal humorada, mas não mal humorada, um pouco na minha. Porque tinha tanta coisa ridícula, tanta coisa perturbadora. Ai meu Deus! Não tenho paciência. Ai que preguiça de certas coisas. Mas eu convivo. São muitas pessoas diferentes, aqui fora você não seria amigo das pessoas e lá você tem que conviver com elas.

LA: Dia a dia, não sei quantos dias.

LL: Nossa! Fiquei cento e poucos dias.

LA: É muito tempo. Eu não aguentaria. É muita coisa que dá vontade de falar.

LL: Nossa! Segurei a onda bastante. Segurei até onde pude.

LA: Mas mandou bem demais. Mandou bem demais. Porque com você foi difícil de mexer. Com você, a galera deu uma tremida nas bases.

LL: (risos)

LA: Achei muito boa sua trajetória dentro de A Fazenda. E de lá, não só eu como muitas pessoas passaram a te seguir e seu Instagram deu uma explodida. Você virou uma das queridinhas da web.

LL: Pois é! Quem diria? E eu, totalmente... Nunca fui de me expor. É muito louco. Nunca fui de me expor e de repente eu falei “vou para o reality”.

LA: (gargalhadas) Oi! Vou para o reality! Como assim?

LL: Quer dizer, ou oito ou oitenta. E lá dentro, me questionava, “o que estou fazendo aqui dentro? Qual o propósito disso?” Mas aí, depois de três semanas dei uma relaxada, porque senão eu acho que eu teria saído, não sei. Aí eu dei uma relaxada e fui para as cabeças. “Agora vai! Já estou aqui mesmo.”

Lidi Lisboa - Revista PORTFOLIO capa - Foto Sergio Cyrillo (3)

LA: E como é que você lida com o Instagram, com esse sucesso, com esses mais de um milhão de seguidores?

LL: Eu estou aprendendo na verdade. Estou super aprendendo. Aprendo muito com os meus fãs, sou muito grata a eles porque eles me ensinam demais. Até a como me portar com eles, como lidar com eles. Porque de repente você tem um monte de pessoas te seguindo que, querendo ou não, te cobram né? “Ah, você não fez Stories, como é que você está? Você tá bem?” Sim, gente! Estou bem, só estou trabalhando, fazendo as coisas aqui. “Ai, tem que postar Stories, a gente quer te ver!” Então, eu aprendo todos os dias, sabe?

LA: É muito carinho também que você recebe. Isso é muito gostoso. É cativante nesses momentos que estamos meio afastados das pessoas. Então, o carinho, esse aconchego, parece que a gente se sente abraçado. Eu, no meu, me sinto assim às vezes também, com as pessoas que curtem o meu trabalho, me sinto também acarinhado. Você sente isso?

LL: E eu não estou sozinha, né? Tem muita gente que me acompanha, tem muita gente que eu converso, a gente troca. Volta e meia tento fazer lives com eles para eu vê-los, eles me verem, sabe?  Então é uma conquista diária.  Porque a partir do momento que eu cativei eles, de alguma maneira sou meio responsável.

LA: Exatamente. A velha frase: Você é responsável por aquilo que cativa.

LL: Então, justamente, Pequeno Príncipe. É essa dualidade que tem sempre. Tento lidar da melhor maneira possível e tento fazer com que todos eles fiquem felizes.

LA: Vejo que você é muito acarinhada. Vejo que curtem muito você. Eles mandam muito “eu te amo”. Isso é tão bom, ? Meu Deus! Como é boa essa relação com fã. Acho isso fascinante. Uma das boas coisas que a internet trouxe.  E tem o hater, todo mundo tem, você deve ter. Alguém deve dizer uma bobagem e a gente vai levando...

LL: Teve uma época que teve muito. Uma época de haters com palavras bem duras, bem feias, bem horrorosas. E aí, ao mesmo tempo, tive um período que meu Instagram estava sendo denunciado direto, direto, direto, direto.

LA: Ah, passei por isso.

LL: Pois é.

LA: Isso porque como a gente posta todo mundo, todos os artistas, então quando a gente posta uma pessoa e o fã clube de outro artista não gosta, aí o fã clube vai lá e denuncia, denuncia, denuncia até cansar. Então, a gente vai passando por umas situações que eu achava que só vocês, artistas, passariam. Porque o nosso perfil é um perfil que é do bem. A gente não faz fofoca. Eu odeio fazer fofoca, já tem muitos por aí que fazem, que gostam de falar, “a Lidi separou, a Lidi juntou, a Lidi fez não sei o que”.  Tem muita gente para isso. Eu olho e falo assim, “meu Deus, que relevância tem essa coisa?

LL: Exatamente.

LA: Por que não diz que a pessoa tá linda? Por que não fala do fotão que postou? Aliás, você fez umas fotos lindas com Sérgio Cyrilo. Tô apaixonado, tá? A-pai-xo-na-do! Falei, “Cyrillo o que deu em você? Sua câmera abriu para a Lidi!

LL: Háháhá...

LA: Estou apaixonado pelas fotos. Vou te falar!

LL: Ele é muito bom. Muito bom. Fotografei para a Caras também com ele e adorei.

LA: Ele é ótimo! Um amigo querido. Sensacional. De uma simplicidade, de um feeling, sabe? Ele consegue captar. Isso é muito bom. Mas, voltando aos haters, com esse negócio de denúncia, sofremos demais. Eu não ponho fofoca, me recuso a pôr, não quero, não gosto. A gente recebe pelo DM as fofocas de quem se separou, não me interessa. Separou, separou. Não me interessa. E o casal que separa, se eu boto uma pessoa, o pessoal do outro vai lá e denuncia. Aí, eu boto o outro e o pessoal vai lá e denuncia. Então, já aprendi a lidar com isso. Acho que o Instagram já está até acostumado com tantas denúncias que a gente tem. (risos)

LL: Ô coisa que vende, né? As pessoas querem saber com quem a outra pessoa está ficando.

LA: Como vende a tristeza alheia, como vende a separação! Você deu uma escorregada, a pessoa deu uma pisada na bola, falou um coisa ruim, a internet faz aquilo se tornar gigante.

LL: Exato.

LA: Aí vem um site e publica, “Porque ela falou isso, isso, isso, isso, isso” Hoje é cabelo, se é da nossa cor. Bom, não tenho cabelo então não adianta me cobrarem cabelo. Se é da nossa cor, não pode botar uma peruca de cabelo liso. Por que não?

LL: Exatamente. Esses tempos eu falei, “gente, a que ponto chegou!” Eu não posso usar o cabelo que eu quiser?

LA: Simmmm.

LL: Não posso usar o sapato que eu quiser? Não posso usar a cor da unha que eu quiser? Não posso usar o cabelo que eu quiser? Eu posso!

LA: É complicado, mas, você tem lá um milhão e não sei quantos mil seguidores que te amam. Isso é o suficiente. Vamos voltar para as novelas porque você trabalhou muito. Vem trabalhando. Você está com 20 anos de trabalho no áudio visual, é isso?

LL: Estou. Fiz 20 anos.

LA: Menina! Então agora já tira de letra e faz com pé nas costas, não é? !

LL: Ah não! Nunca!

LA: (risos) Nada disso, né?

LL: Nunca, nunca, nunca. É sempre um processo difícil. Eu sofro,”ai não tá bom, aí não sei o quê! Aí vai, vem, aí vem para casa humilhada, ultrajada. Ai aquela cena!” É difícil. Não dá para ganhar todas as cenas. Sempre vai ter uma que vai ficar...

LA: Verdade...

Lidi Lisboa - Revista PORTFOLIO capa - Foto Sergio Cyrillo (4)

LL: Às vezes a gente acha que mandou bem para caramba numa cena e você fala, “Nossa, mandei muito bem na cena”. Aí quando você vê... Tem outras vezes que você fala, “Nossa eu mandei muito mal na cena” e você vê e fala, “Tá bom!” Porque eu assisto como telespectadora mesmo, sendo crítica. Mas é um processo meu, uma coisa minha, que eu sempre me cobro, sempre quero mais.

LA: Aí que é o processo de vocês, atrizes e atores, artistas de um modo geral. Eu acho que tem que ocorrer diariamente, não é? Esse processo de uma cobrança não tão severa, mas uma cobrança porque as pessoas, às vezes, não veem que vocês têm que estudar, tem que pesquisar muito para um personagem, não é isso Lidi? Ou estou errado?

LL: A gente fica meio maluco da cabeça mesmo. A gente fica meio perturbada. Altos e baixos. Faz 20 anos que eu penso em desistir da carreira sabe? Eu penso nisso diariamente. “O que que eu estou fazendo aqui?” Aí entra para um novo projeto e sofre porque acha que não está fazendo legal, que poderia ser melhor. E, ao mesmo tempo, trabalha aqui e de repente fica meses sem trabalhar, sabe? É todo um processo. As pessoas não vêm isso. Ai, nossa...

LA: Pensam que é um mar de rosas...

LL: Não, não é. É muita loucura. É difícil, é muito complicado. Ainda mais aqui no Brasil. É complicado.

LA: Complicado demais. A gente vê muito artista de talento. Todos os atores e atrizes que converso aqui falam a mesma coisa comigo. Tem tanto artista talentoso fora do circuito de peça, de tudo. Meu Deus, espero que voltem muitas peças de teatro, porque eu amo, que venham peças no ano que vem para essa gente toda trabalhar. Porque não são só atores, são os técnicos, é todo mundo. Desde o motorista, o bilheteiro.

LL: Todo mundo. O audiovisual ficou bem prejudicado. Está prejudicado ainda. E aí, o que acontece? Mas, graças a Deus, não sei se as pessoas notaram isso, mas sem o áudio visual, o que teria sido da gente nessa pandemia?

LA: Porque o audiovisual foi nosso companheiro.

LL: Foi assistir a séries, uma série atrás da outra. Claro que tiveram umas peças via internet...

LA: Na internet, assisti a algumas no YouTube. Que bom que alguém teve essa ideia. Mas, no ano que vem, tudo vai voltar bonitinho pra gente ? Se Deus quiser”

LL: Amém!

LA: Você vai voltar para o teatro?

LL: Eu tenho uma peça para fazer, não sei se para o primeiro semestre. Tenho uma peça para fazer do Dias Gomes.  

LA: Olha... Do Dias Gomes, já vem com tudo hein danada?

LL: Até tenho que ver como está esse processo e é uma peça maravilhosa.

LA: Que beleza!

LL: Vai encaixar. Eu sei que vai!

LA: Háháháhá. Seu tempo está muito louco?

LL: Estava muito louco. Agora está mais tranquilinho. Faz uma semana e meia que estou mais tranquila. Estava curtindo esse frio, mas, agora estou deprimidíssima.

LA: (gargalhadas) Eu adoro!

LL: Estou deprimidíssima! (risos)

LA: Estou vendo que tem muitas árvores aí atrás. Que delícia!

LL: O povo não sai. Vão fazer duas semanas que está esse frio, gente! Eu sou do sol. Nossa! Estou aqui encolhida...

LA: Agasalhada, encolhida.

LL: Humilhante! (risos) Se não fosse o Joaquim (seu pet), que tenho que sair com ele. Horrível! Não sei nem se o sol vai sair amanhã, acho que não.

LA: Não, não tem previsão de sol para o Sudeste, não tem previsão de sol São Paulo e Rio, isso é que é o pior. Parece que no final de semana vai dar uma melhorada. Só perguntando para nossa querida Anne Lottermann que está de férias. Ela sabe tudo. (risos)

Lidi Lisboa - Revista PORTFOLIO capa - Foto Sergio Cyrillo (5)

LL: Nossa... Estou em pânico.

LA: É terrível!

LL: Pensa morar em Londres! Não vou para Londres, gente.

LA: (gargalhadas) Sem chance, ?

LL: Nossa, eu descobri que realmente o sol é tudo.

LA: Dá uma energia na gente.

LL: Um dia assim ou outro eu gosto. OK! Agora vai fazer duas semanas!

LA: E eu viajando para o Rio e São Paulo, voltando indo, indo e voltando, dá uma tristeza porque a gente já sai com chuva e chega com chuva.

LL: Dá uma tristeza.

LA: Mas ainda bem que eu não paro. Você também deve gostar de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, não?

LL: Tem fases. Adoro ficar em casa também e adoro trabalhar também. É o equilíbrio.

LA: Nem demais e nem de menos.

LL: Isso.

LA: No tempero certo. Ah, queria conversar mais com você porque sempre fui seu fã. Amo a Kelly mesmo, você tem personagens maravilhosas.

LL: Ah, hoje vou ver Kelly!

LA: Vai ver Kelly porque olha...

LL: Ah, hoje é rapidinho porque tem futebol.

LA: Hoje tem futebol, hoje é rapidinho. Mas vou te falar, porque seus personagens todos são maravilhosos, enfim, todos passam muita emoção. Mas, o que consigo perceber, eu gosto de analisar a novela, eu devia escrever sobre novela. O que consegui perceber é que você foi pegando esse personagem, foi, e, “espera lá! Eu não sou boba nem nada. Deixa eu fazer essa menina meio engraçada aqui, meio inocente...” Mandou e Pow! Foi. E todo mundo acha maior graça da Kelly, todo mundo acha.

LL: Foi chegando de fininho, né?

LA: Foi chegando de fininho. Fui vendo e falei “essa é atriz, essa é atriz esperta que sabe fazer o trabalho bem direitinho” (risos)

LL: Mas o mais louco é que na época... Acho que está tendo mais repercussão agora.

LA: Eu também sinto isso. Porque na primeira vez...

LL: Não sei se é porque as pessoas me conheceram na Fazenda. Porque eu passei três meses, eu, nua, despida. Então, acho que aí as pessoas começaram a me ver mais.

LA: Sim, acredito que seja isso, pela exposição que A Fazenda trouxe para você e aí trouxe os fãs. Uma coincidência ótima, entrou com a Kelly numa reprise e as pessoas perceberam mais. Porque também eu não assistia Império direto. Comecei a assistir agora porque tenho mais tempo, apesar de terminar minhas entrevistas tarde, mas eu boto para gravar, tá? Eu sou noveleiro confesso e boto para gravar, não tem jeito. Mas meu amor, que delícia falar com você. Que entrevista boa!

LL: Que bom. Obrigada!

LA: Você é maravilhosa!

LL: Obrigada!

Lidi Lisboa - Revista PORTFOLIO capa - Foto Sergio Cyrillo (6)

LA: Já era teu fã, ? E agora, a cada pessoa que eu entrevisto, cada pessoa legal como você, porque nem todos são assim, mas a cada um que entrevisto, tenho tido uma sorte enorme, eu viro mais fã do que já era antes e é o nosso caso aqui, sou teu fã. Muito!

LL: Ai que bom, muito obrigada, fico muito feliz.

LA: E esperando te ver mais depois de Kelly nas novelas e querendo te encontrar também no teatro!

LL: Aí vai ser babado.

LA:  Vou bater na porta e pedir autógrafo lá no camarim, você vai ver. Háháhá...

LL: Vai lá!

LA: Minha querida, quero te agradecer muitíssimo.

LL: Muito obrigada, muito obrigada!

LA: Obrigado pela sua disponibilidade. Você é muito mais gentil, mais humana do que parecia ser. Conversar com você foi um prazer enorme, foi um presente.

LL: O prazer foi meu. Espero que façamos outros trabalhos também.

LA:  Com certeza! Olha, você me deixou maluco! As fotos estão maravilhosas!

LL: Você não vai me dar um spoiller?

LA: Eu só sei que você vai amar essas fotos. Tá difícil de escolher, viu?

LL: Qual vai ser a capa?

LA: Tá difícil de escolher. Vou ter que conversar muito sério com Cyrillo para ele me dar uma dica. Você fotografou maravilhosamente bem. Fiquei apaixonado. Estou te dizendo, estão muito lindas, você vai amar.

LL: Mas já é agora domingo?

LL: Já! É esse domingo! Hahaha. Vamos que vamos! Um beijo para você! Amei você muito, demais.

LL: Um beijo, muito obrigada, você é um querido. Muito obrigada.

LA: Um beijo. Manda notícia sempre! Quero saber de toda sua vida! De sua vida artística!

LL: (gargalhadas)

LA: Um beijo meu amor!

Mais uma entrevista incrível com alguém que adorei conhecer! Todo domingo é assim (pelo menos até agora!). Não me canso de agradecer por momentos como esses e por entrevistados tão queridos e maravilhosos como a Lidi, esta atriz de personalidade que amamos muito! Espero que tenham gostado tanto quanto o L A aqui de vocês! Bom domingo. Nos vemos no próximo domingo ou na página @revistaportfolio no instagram! Beijos.

FICHA TÉCNICA

Foto: @sergiocyrilloStylist: @marceloultraStyling: @fagnervittorio l Hair: @brunovetritti Make: @menezesbruu_Estúdio: @cia11estudio / @estudiohairsp

VEJA TAMBÉM

Leo Picon, um jovem bem humorado, feliz e muito querido na Stalkeados por Luiz Alberto

Vanessa Giácomo na Stalkeados por Luiz Alberto. Uma das atrizes mais talentosas deste país!

NOSSAS CAPAS

Barbara Russo faz aniversário e agita a segunda paulistana

ACOMPANHE O DIA E A NOITE DOS FAMOSOS PELO NOSSO INSTAGRAM


Lidi Lisboa, uma atriz com muito para contar!



Portfólio TV PORTFOLIO TV

Paolla Oliveira

Paolla Oliveira

André Martinelli

André Martinelli

Isadora Ribeiro

Isadora Ribeiro

Julia Puzzuolli. Elá é um fenômeno!

Julia Puzzuolli. Elá é um fenômeno!

Julia Puzzuolli. Elá é um fenômeno!

Todos os direitos reservados l Copyright c Revista Portfolio Brasil 2017